Notícias Em Destaque

Turismo Centro de Portugal apresentou as oito estações náuticas certificadas na região

Turismo Centro de Portugal apresentou as oito estações náuticas certificadas na região

A ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, foi a convidada de honra da cerimónia pública de apresentação das Estações Náuticas do Centro de Portugal, que aconteceu dia 29 de julho, na Praia Fluvial de Fernandaires, no concelho de Vila de Rei e que se encontra inserida na Estação Náutica de Castelo do Bode.
Na sua intervenção, a governante frisou a importância do turismo, em particular, do náutico, para o desenvolvimento da coesão do território. “Devemos promover o turismo interno e trabalharmos juntos para sairmos desta crise com mais capacidades e mais fortalecidos. O turismo tem a capacidade de se aliar a outros setores, como a agricultura, de forma a garantir a fixação de pessoas em todo o país, nomeadamente nas regiões de baixa densidade”, sublinhou.
“Nós, portugueses, temos hoje a responsabilidade de ir para fora cá dentro e valorizar cada vez mais o que o nosso território tem para oferecer do ponto de vista daquilo que é o turismo”, acrescentou a ministra.
A cerimónia contou ainda com a presença do presidente da Câmara Municipal de Vila de Rei, Ricardo Aires, que deu as boas-vindas aos presentes, e do presidente do Turismo Centro de Portugal, Pedro Machado, que fez o enquadramento estratégico do produto turismo náutico para a estratégia global do Centro de Portugal.
“Em tempos difíceis, é muito importante sermos mais criativos e conseguirmos criar novos produtos turísticos com os recursos já existentes. O elemento água é aglutinador de várias propostas turísticas e as estações náuticas constituem um produto turístico de qualidade e que envolve diferentes agentes, numa oferta integrada do território”, destacou Pedro Machado.
Coube a Sofia Maciel, por parte do Fórum Oceano, fazer a apresentação técnica da Plataforma Nautical Portugal, que realçou ser um mercado que atrai largos milhares de visitantes todos os anos e que apresenta um enorme potencial.
A rede Estações Náuticas de Portugal conta atualmente com 24 Estações Náuticas certificadas e quatro em processo de certificação, distribuídas por todo o continente, no litoral e interior. A Região Centro lidera o número de Estações Náuticas certificadas, com oito, as quais envolvem 337 parceiros e integram uma rede nacional e internacional de oferta turística náutica de qualidade.
As oito Estações Náuticas certificadas no Centro de Portugal são Aveiro, Castelo do Bode, Estarreja, Ílhavo, Murtosa, Oeste (esta em vários núcleos), Ovar e Vagos. Além destas, outras sete Estações Náuticas estão em processo de certificação na região.
As estações náuticas são organizadas com base na valorização dos recursos náuticos presentes em cada território, os quais incluem a oferta de alojamento, restauração, atividades náuticas e outras atividades e serviços relevantes para a atração de visitantes. Ao estarem certificadas, asseguram aos visitantes a qualidade do produto turístico e dos serviços prestados, bem como apoio informativo e a reserva de alojamento e serviços.

Ministra no Médio Tejo para esclarecer Descentralização de Competências

“Estamos prontos para em 2021 termos a totalidade das competências”, foi desta forma que Anabela Freitas, presidente da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo, resumiu a reunião realizada ontem, na sede da CIM, em Tomar, com a presença da ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão e do secretário de estado da Descentralização e da Administração Local, Jorge Botelho.
Os autarcas estiveram reunidos com os governantes para esclarecerem dúvidas e proferirem comentários sobre o processo de descentralização de competências aos organismos da administração local.
Em resumo, a presidente da CIM do Médio Tejo referiu que “os envelopes financeiros são efetivamente importantes, mas para nós o mais importante é desbravar algum caminho junto das estruturas intermédias”.
Anabela Freitas recordou que “foram criadas comissões de acompanhamento” para cada área a descentralizar e que essas reuniões “estão a correr bem”.
“Há um conjunto de competências que vamos aceitar em 2020 e estamos prontos para em 2021 termos a totalidade das competências”, salientou.
Para a presidente da CIM do Médio Tejo, este é um processo importante para o cidadão comum “para que os seus problemas sejam resolvidos na hora e “é um caminho para a regionalização”.
Após a reunião com os autarcas do Médio Tejo, Alexandra Leitão fez um balanço muito positivo da sessão, dando conta que foi uma “reunião muito proveitosa e que correu francamente bem”.
“Há algumas dúvidas quanto a questões concretas, mas o que se retirou daqui hoje é de que a descentralização é o caminho e que os autarcas estão, de modo geral, alinhados com o processo”, disse.
“A vontade do Governo é que se mantenham os prazos que estão referidos no diploma e vamos trabalhar muito, sobretudo com as autarquias”, salientou a ministra.
Recorde-se que a ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública iniciou este mês o Roteiro para a Descentralização, acompanhada do secretário de Estado Jorge Botelho, num périplo para recolher dúvidas, sugestões, críticas e dificuldades sentidas, que vai decorrer até à segunda semana de fevereiro.

Texto e foto – CIM do Médio Tejo

Bons Sons 2020

BONS SONS 2020
Festival decorre de 13 a 16 de agosto

Em 2020, o BONS SONS realiza-se de 13 a 16 de agosto, na aldeia de Cem Soldos, concelho de Tomar.
Este ano, dá-se início ao terceiro ciclo na vida do BONS SONS e é altura de dar lugar a uma nova geração de pessoas, que cresceu com o festival e é também o resultado do trabalho de formação e capacitação realizado ao longo dos anos. Uma nova geração que conduz uma equipa intergeracional, num festival com novas lideranças, nomeadamente, na direção artística e na coordenação de áreas como a programação, a técnica e a logística.
Neste sentido, Miguel Atalaia é o novo diretor artístico do BONS SONS, sucedendo a Luís Ferreira, fundador e diretor artístico do festival desde 2006.
Integrando a equipa do festival, desde o início do segundo ciclo, em 2014, Miguel Atalaia tem sido responsável pelas atividades que envolvem a comunidade de Cem Soldos e tem feito parte da equipa de comunicação, sendo um dos designers do festival. Pertence à direção do SCOCS – Sport Club Operário de Cem Soldos – associação responsável pela organização do BONS SONS – desde a mesma altura, e da qual é, agora, o novo presidente.
Depois de uma edição em cheio, com 33.800 visitantes, mais de 50 concertos, cerca de 80 espetáculos e atividades paralelas, 250 artistas, mais de 500 voluntários envolvidos, um documentário e um livro, numa verdadeira aldeia em manifesto, com muita música, dança, histórias encenadas, performances, instalação fotográfica, conversas, debates, jogos tradicionais, burros de Miranda, percursos artísticos, oficinas de música, visitas guiadas e um mural, chegamos ao 11.º BONS SONS.
Até 2019, foram treze anos, dez edições e cumpriram-se dois ciclos na vida do festival, entre 2006 e 2019 – cada um composto por cinco edições cada. Um primeiro ciclo com edições bienais e, partir de 2014, anuais, por onde passaram centenas de concertos e atividades especiais, centenas de milhares de visitantes, muitos milhares de horas de trabalho, dezenas de prémios e milhões de emoções.
Inicia-se, assim, uma nova fase no BONS SONS, com novas ideias, novas orientações, novas gerações, novas lideranças, mas também com a mesma lógica de pensamento e continuidade, o mesmo empenho, o mesmo amor, o mesmo sentimento de partilha com artistas, parceiros e visitantes, a mesma vontade de inovar em cada edição, o mesmo foco na capacitação e formação, o mesmo e incrível espírito de comunidade e de intergeracionalidade, na mesma aldeia em manifesto de sempre.
Um festival e uma aldeia que existem e continuam a querer existir pela contemporaneidade no campo, por uma plataforma cultural, pelo planeamento do território, pela cidadania participativa, pelo envelhecimento ativo, pelo ensino em comunidade, por projetos de território, por uma ação sustentável, pela criação de espaço público e pela cultura popular.


BILHETES À VENDA
Os bilhetes para o BONS SONS 2020 já estão à venda e, como sempre, quem compra primeiro, compra mais barato. E porque não são assim tantos, há que garantir o lugar. É importante ter em conta que cada fase tem um número de unidades limitado e os bilhetes podem esgotar antes de terminar a data de cada uma das fases. Esgotado o número de bilhetes da fase em curso, passam a vigorar os valores da fase seguinte.

PASSE 4 DIAS
35€ JANEIRO – MARÇO
45€ ABRIL – JULHO
50€ AGOSTO*

BILHETE DIÁRIO
25€ ABRIL – AGOSTO
Bilhetes à venda nos locais habituais.
* Também disponível nas bilheteiras do recinto

Vila Nova da Barquinha Ações de formação financiada


 

Formações Modulares: 

-Primeiros Socorros 

-Língua Inglesa -técnicas de escrita

 

Data Prevista de Início: ABRIL de 2018 (Início dependente, de um número mínimo de 20 inscrições)

 

Destinatários: Desempregados inscrito no IEFP, por período igual ou superior a um ano para pessoas com mais de 25 anos, ou 6 meses para pessoas com idade inferior a 25 anos, cujas habilitações escolares sejam inferiores ao 12.º ano.

 

Local de Inscrição/ Realização da Formação:

CIAAR- Centro de Interpretação de Arqueologia do Alto Ribatejo

Largo do Chafariz Nº3

2260-419 Vila Nova da Barquinha

[email protected]

Tlf. 249 711 209

 

 

FMDLD_VLBarquinha

 

 

 CLAC no 30° Grande Prémio da Páscoa de Constância

 

No passado sábado, dia 31 de Março de 2018 realizou-se na bonita vila de Constância, o 30° Grande Prémio da Páscoa, integrado nas Festas da Boa Viagem. Além da prova “rainha” de 10 mil metros, houve igualmente corridas para os mais novos, dos escalões de Benjamins aos juvenis.

À semelhança de anos anteriores, o Clube de Lazer, Aventura e Competição (CLAC-Entroncamento), Secção de Atletismo, esteve presente nesta prova com uma comitiva de 13 atletas no total, 7 dos quais vindos da escola de formação.

Na prova de 10km, destacamos João Pedro Ferreira , que foi o primeiro dos atletas deste clube a passar a meta, tendo sido o 13° no seu escalão M 40 anos.

Participaram ainda nesta distância os atletas António Ferreira, José Santos, Vítor Silva, José Almeida e Ricardo Silva.

Nos mais novos, o principal destaque vai para as jovens atletas Laura Matreno e Catarina João, que ficaram em 5° lugar e 9º lugar, respetivamente.

Participaram ainda nos escalões jovens, os atletas Xavier João, Diogo Pássaro, Luís Bibi, Afonso Grácio, Martim João e Ricardo Simões.

A Secção de Atletismo do CLAC

c1

 Mação

3.ª Conferência Movimento pelo Interior

Mação recebe esta sexta-feira, 6 de abril, a 3.ª Conferência Movimento pelo Interior.

Esta é uma iniciativa do Movimento Pelo Interior (MPI), que se realizará a partir das 14h30, no Auditório do Centro Cultural Elvino Pereira.

m1

Scroll to Top