Torres Novas – Exposição “Mulheres, Paz, Liberdade – Maria Lamas”‌

O Município de Torres Novas inaugura, no Dia Internacional da Mulher, a exposição “MULHERES, PAZ, LIBERDADE //MARIA LAMAS”, homenagem singela a esta figura ímpar da cultura portuguesa, no ano em que se celebra o seu 125º aniversário de nascimento.
Inquieta e insubmissa, a torrejana Maria Lamas foi uma das mulheres marcantes do séc. XX português. Os seus princípios éticos e os valores humanistas que a nortearam são universais e constantes nas geografias do mundo. Jornalista, escritora, tradutora, editora, Maria Lamas não esperava, entrava em ação e punha os projetos em andamento: organizou exposições, colaborou e tomou a direção de periódicos, participou em muitas organizações, movimentos políticos e associativos. Foi presa três vezes pela PIDE, esteve exilada no Funchal e em Paris, onde assistiu, entusiasticamente, às manifestações do maio de 68.
Há 70 anos, nesse final da década de 40 do séc. XX, Maria Lamas publicava As Mulheres do Meu País, um retrato da condição feminina em Portugal, imagem despudorada de um Portugal esquecido, momento político de afirmação das mulheres como pilares não só da família, mas também da economia do país.
A exposição “MULHERES, PAZ, LIBERDADE //MARIA LAMAS” evidencia as lutas, as causas e a ação cívica e política de Maria Lamas, dos anos 20 ao 25 de Abril de 1974.
Esta exposição estará patente ao público no edifício do Convento do Carmo e no Museu Municipal Carlos Reis, de 8 de março a 1 de maio de 2018.

O Município de Torres Novas inaugura, no Dia Internacional da Mulher, a exposição “MULHERES, PAZ, LIBERDADE //MARIA LAMAS”, homenagem singela a esta figura ímpar da cultura portuguesa, no ano em que se celebra o seu 125º aniversário de nascimento.
Inquieta e insubmissa, a torrejana Maria Lamas foi uma das mulheres marcantes do séc. XX português. Os seus princípios éticos e os valores humanistas que a nortearam são universais e constantes nas geografias do mundo. Jornalista, escritora, tradutora, editora, Maria Lamas não esperava, entrava em ação e punha os projetos em andamento: organizou exposições, colaborou e tomou a direção de periódicos, participou em muitas organizações, movimentos políticos e associativos. Foi presa três vezes pela PIDE, esteve exilada no Funchal e em Paris, onde assistiu, entusiasticamente, às manifestações do maio de 68.
Há 70 anos, nesse final da década de 40 do séc. XX, Maria Lamas publicava As Mulheres do Meu País, um retrato da condição feminina em Portugal, imagem despudorada de um Portugal esquecido, momento político de afirmação das mulheres como pilares não só da família, mas também da economia do país.
A exposição “MULHERES, PAZ, LIBERDADE //MARIA LAMAS” evidencia as lutas, as causas e a ação cívica e política de Maria Lamas, dos anos 20 ao 25 de Abril de 1974.
Esta exposição estará patente ao público no edifício do Convento do Carmo e no Museu Municipal Carlos Reis, de 8 de março a 1 de maio de 2018.

Scroll to Top